Crise é sim oportunidade na carreira. Pra quem?

Mesmo quando tudo conspira a favor do pessimismo e quando a confiança dos empresários brasileiros vai “de mal a pior”, devemos fazer o exercício de buscar oportunidades. O dinheiro não desaparece, ele troca de mãos. Alguém está faturando com o momento difícil que vive a economia deste país, em linhas gerais. Você, no seu negócio, deve reavaliar seu nicho de mercado, ou buscar pela primeira vez um nicho de mercado; deve focar nos 20% de clientes que te trazem 80% do faturamento; deve descontinuar linhas de produtos sem sucesso… Eu, na verdade, não sei o que você deve fazer. Mas seria bom se parasse para refletir, caro amigo.

headhunterJá adianto que sentar e chorar com medo do que está por vir é besteira. Você não colherá fruto nenhum disso, somente se envenenará com desânimo e inatividade. “Somos brasileiros e não desistimos nunca” gritávamos até outro dia, mas agora é a hora de provar que somos mesmo guerreiros persistentes. Falar é fácil, não é mesmo?

headhunterLer qualquer notícia sobre economia ou política nesse país parece o mesmo que jogar areia em nossos olhos: todo mundo espreme a visão para ter uma primeira impressão sobre o assunto e decidir se vai continuar. Mais sobre corrupção? Mais sobre pagamos muito imposto e não recebemos nada? Mais sobre absurdos da Copa? Mais sobre a água que acaba em Outubro? Mais sobre a energia elétrica que vai aumentar por volta de 43% para a indústria? Mais sobre greve? Mais sobre pobre infra-estrutura? Mais sobre a vergonha da rede de saúde? Mais sobre falta de investimento em Educação? Mais sobre escândalos? Mais sobre o medo do futuro desse país? E para ajudar, o governo, que devia estar incentivando nosso otimismo, ainda faz aquele vídeo “Fantasmas do passado” e coloca em rede nacional. 

Concordo! Não é fácil e toda vez que pensamos nisso tudo junto queremos saber qual é a solução, afinal, se é que existe. Lógico que tem solução, não sejamos ingênuos. E será solucionado, no curto, no médio ou no longo prazo. Enquanto isso, que tal pensarmos em um boa estratégia de sobrevivência? Obs.: Essa estratégia é pessoal e individual. Boa sorte a todos.

Onde eu posso contribuir? Falando do meu mercado pra vocês: Emprego!

1º Ao que tudo indica, não estamos vivendo o tão anunciado pleno emprego. O IBGE considerou apenas os profissionais que estão “buscando emprego ativamente”, ou seja, quem não está buscando emprego (por qualquer motivo) não entrou na pesquisa. Outro fato importante é que um vendedor de bala no semáforo, por exemplo, por ter apresentado renda nos últimos 6 meses, não é considerado desempregado. Além disso, a formalização de muitos profissionais que trabalhavam na informalidade também altera significativamente o resultado final. Enfim, os dados do IBGE são calculados dessa forma, servem de parâmetro para comparação com períodos anteriores que tenham sido medido com as mesmas regras, mas está longe de refletir a realidade.

2º Não discordo, em hipótese alguma, que em momentos de expansão da economia a oferta de oportunidades de carreira é muito maior, afinal, as empresas estão crescendo, estão investindo em novas linhas, em novas fábricas, em novas cidades, em novas estratégias. Para tudo isso é preciso contratar pessoas.

3º Porém, em momentos de desaceleração, crise e falta de investimentos, pensamos automaticamente que: ninguém vai contratar! E isso não é uma verdade porque:

  • Agora é a pior hora para qualquer empresa continuar pagando um alto salário para aquele funcionário que não traz resultado (e isso é muito comum); E o salário aqui não é o ponto mais crítico, mas sim a ausência deste resultado esperado. Logo, a cadeira não pode ficar vazia e muito menos ser preenchida com um profissional parecido: é hora de investir em alguém com verdadeiros diferenciais.
  • Ou continuar com a mesma estratégia para um cenário diferente e complicado, sendo que novas estratégias geralmente demandam novas cabeças pensantes e novos executores. Isso pode salvar um negócio nestes momentos difíceis.

Saiba para quais demandas uma consultoria de Recrutamento é contratada.

Pela ótica das empresas: “…mas demitir e contratar é caro!”. Tem certeza?

  1. Quanto custa manter o profissional errado dentro da sua estrutura?
  2. Quanto custa ficar com uma importante função desocupada dentro da sua empresa?
  3. Quanto custa contratar e treinar a pessoa errada?
  4. Quanto custa continuar com o mesmo time improdutivo quando sobreviverá somente as empresas que se reinventarem?

Sabe por quê abrimos a heads? Porque verdadeiramente acreditamos na importância de um time coeso, de profissionais compromissados e desafiados, e sabemos que é possível encontrar o profissional que vai mudar a história das organizações, afinal, empresa nenhuma faz nada, gente faz. 

A outra face da moeda: O profissional buscando se recolocar no mercado, mudar de emprego ou continuar empregado.

Uma característica em comum está sendo buscada nos profissionais neste momento, não somente para os que serão contratados, mas para tomar a decisão de quem continua ou não na equipe, então fique atento:

  • Empreendedorismo: o empreendedor não é somente aquele que abre uma empresa. No dicionário significa: Atitude de quem, por iniciativa própria, realiza ações ou idealiza novos métodos com o objetivo de desenvolver e dinamizar serviços, produtos ou quaisquer atividades de organização e administração.

Na prática: não é o melhor momento para ficar reclamando de tudo, de falar muito e fazer pouco, de fazer somente aquilo que te pedem, de resolver problemas com as mesmas atitudes de sempre, não é o momento de ser igual a maioria.

p_decisaoPara quem está em processos seletivos: Atitude! Se você é empreendedor mostrará com facilidade em uma entrevista esse adjetivo (Quer ajuda? Consulte estas dicas valiosas); se você não é, busque realizar mudanças no seu modo de pensar sobre os problemas, depois mostre isso ao contratante/headhunter. Mexa-se, faça cursos, participe de palestras, tenha contato com gente diferente, seja contagiado por novas idéias. Mas não engane ninguém.

Além disso, adjetivos complementares como resiliente, persistente, corajoso, inovador e focado aparecem com frequência das discussões de perfil de vaga.

Para quem quer continuar no emprego: use todas as dicas acima para ser ainda melhor. Aproveite as oportunidades de crescimento que momentos de incerteza nos oferecem.

Minha dica final: Busque SER tudo isso, ao invés de forjar atitudes. No médio prazo já não é mais o suficiente.

Dúvidas, comentários e sugestões são muito bem-vindos. Entre em contato comigo por e-mail: camila.donati@headsrh.com.br.

Bom final de semana a todos.

Camila Donati

2 respostas em “Crise é sim oportunidade na carreira. Pra quem?

  1. Pingback: Tem certeza que tem a melhor equipe? | heads | blog

  2. Pingback: O que esperar de 2015 em relação às contratações? | heads | blog

Participe dessa discussão conosco.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s